Parcelamento: estou colocando o meu negócio em risco?


O surgimento de novas formas de pagamento é o que permite que muitas pessoas realizem os seus sonhos, independentemente de quais sejam eles: comprar um celular novo, uma viagem ou então, por que não, pagar pelo seu tratamento odontológico.​

Apesar dos inúmeros profissionais da área da saúde odontológica que temos em nosso país, a realidade financeira da nossa população torna muitos dos tratamentos inacessíveis, principalmente quando pensamos em pagamentos à vista.​

Por isso, cada vez mais as clínicas e consultórios odontológicos se preocupam em encontrar novas maneiras e estratégias de facilitar o pagamento dos tratamentos, fazendo com que os pacientes fechem mais orçamentos.​

Quer saber como a questão do parcelamento entra em tudo isso? Será que você está, de fato, colocando o seu negócio em risco? Continue a leitura para descobrir!​

Meios de pagamentos para clínicas e consultórios odontológico

Como sabemos, existem diferentes formas de pagamento que você pode adotar em sua clínica. O que você deve ter em mente é a importância em conhecer bem a especificidade de cada uma, assim como entender as facilidades que oferecem aos seus diferentes pacientes.​

Isso porque as formas de pagamento podem variar de acordo com cada paciente. Na época em que os tratamentos eram pagos à vista ou em apenas 2x está ficando cada vez mais para trás. ​

Vamos conhecer um pouco mais sobre as principais formas de pagamento:​

  • Plano odontológico: apesar de muitas clínicas não aceitarem convênios e planos odontológicos, a verdade é que cada vez mais as pessoas procuram por um, como uma maneira de se sentirem seguras em relação à sua saúde. Atualmente, representam 34% de beneficiários. Neste caso, o indivíduo paga para a operadora, que repasse o valor pelos serviços prestados às clínicas que são credenciadas;​
  • Dinheiro em espécie: cada vez mais raro de se ver atualmente por conta da insegurança pública, o pagamento em espécie requer a atenção ao conferir a autenticidade das notas, principalmente com os valores mais altos. Mas não se preocupe, pois a probabilidade é que essa forma de pagamento diminua ainda mais, tanto para segurança do paciente quanto da clínica;
  • Cheque: este é um meio perigoso de pagamento para aqueles que têm problemas com a inadimplência de pacientes. Isso porque o número de cheques sem fundo fica na faixa dos 2% quase todos os meses. Entretanto, ainda é uma das formas de pagamento que muitos pacientes preferem, por isso é importante estar atento;​
  • Cartão de crédito ou de débito: atualmente, os cartões são os meios de pagamento mais utilizados, por conta da praticidade e segurança. As principais vantagens são a garantia do valor total do pagamento e sem risco da inadimplência. Entretanto, muitos pacientes não possuem saldo no cartão de débito ou limite no cartão de crédito, suficientes para fechar a venda. Ou até mesmo não querem comprometer o limite, mesmo com o parcelamento;​
  •  Boleto: este é o segundo meio de pagamento mais utilizado no Brasil, com a grande vantagem de atender a qualquer pessoa, sem a necessidade de ter cartões ou até mesmo alguma conta bancária. Além disso, também é uma opção barata para quem o emite. ​

Facilite o pagamento para seu paciente!

Agora que você já conhece todas as formas de pagamento possíveis, é necessário analisar quais dessas atendem à realidade do seu paciente. ​

Sendo assim, você deve sempre pensar em adequar a forma de pagamento para o seu paciente, pois isso também se caracteriza como um atendimento personalizado, o que diferencia a sua clínica das demais. ​

Dessa maneira, você reduz a possibilidade do paciente não fechar o tratamento e buscar outro profissional que ofereça melhores condições. Note que não estamos falando de redução de preço, mas sim de facilidade no momento do pagamento. ​

Como já falamos, os valores totais dos tratamentos odontológicos são muitas vezes inacessíveis para uma boa parcela da população brasileira. Entretanto, a partir do momento que você consegue oferecer a possibilidade de parcelamentos para o paciente, a probabilidade do mesmo fechar o orçamento é muito maior.​

Agora você deve estar se perguntando: mas como parcelar com segurança? Será que devo basear as minhas decisões em questões subjetivas, apenas olhando para o paciente? Claro que não, afinal, estamos falando da segurança financeira de sua clínica. Então, como fazer?​

Com a QuickCheck é possível avaliar o potencial presumido de pagamento de cada paciente. Além disso, a ferramenta também sugere as melhores condições de parcelamento dos tratamentos, de maneira personalizada, promovendo muito mais segurança para o seu negócio e maiores facilidades ao seu paciente!​

 ​